IX Lisbon Summer School debate o futuro das neurohumanidades

Segunda-feira, Julho 1, 2019 - 10:27

A 9.ª edição da Lisbon Summer School for the Study of Culture, dedicada ao tema “Neurohumanities: Promises & Threats”, começa no próximo dia 1 de julho e prolonga-se até ao dia 6 de julho, em várias instituições de Lisboa. A iniciativa conta com os melhores especialistas nesta área, reunindo saberes das ciências e das humanidades.

Entre os oradores principais destaca-se Semir Zeki, prestigiado neurocientista britânico da University College London, um dos fundadores da neuroestética e autor de obras seminais como A Vision of the Brain (1993), Inner Vision: An Exploration of Art and the Brain (1999) e Splendors and Miseries of the Brain. Love, Creativity, and the Quest for Human Happiness (2009). A esta Summer School, Zeki trará uma reflexão sobre a experiência da beleza a partir da neurobiologia.

Fritz Breithaupt, professor da Indiana University Bloomington, apresenta a conferência “The Dark Sides of Empathy”, título do seu último livro. Breithaupt é um especialista em questões de Empatia. O seu livro "Os lados sombrios da empatia" saiu este ano e tem provocado um debate intenso sobre a questão se a empatia pode ter lados negativos. Será que nem sempre é vantajoso ter empatia? Será que uns sofrem por causa da empatia de outros? E o que é que isso significa para a nossa convivência social?

Péter Forgács, media artist e realizador independente húngaro, encerra a edição deste ano com uma das suas obras, The Danube Exodus. Forgács é mais conhecido pela sua série "Private Hungary" de filmes premiados que documentam vidas comuns rompidas por um extraordinário trauma histórico que ocorre off screen.

Todos os anos, a Lisbon Summer School promove a articulação entre o mundo artístico e o mundo académico, reunindo professores, curadores, artistas e jovens investigadores para uma semana de palestras, apresentações, debates e atividades artísticas que pretendem provocar a reflexão sobre a cultura e arte contemporâneas.

O evento conta este ano com cerca de 100 participantes de 30 nacionalidades, de todos os continentes, e terá lugar na Universidade Católica, na Fundação Calouste Gulbenkian, na Central Tejo e no Museu do Oriente.

Mais informações no website do evento.