A questão da islamofobia em Portugal

Quinta-feira, Junho 9, 2022 - 14:30

 

O CECC tem o prazer de convidar todos os interessados para um debate em torno um projeto de investigação em curso: A questão da islamofobia em Portugal. Acontecerá na próxima quinta-feira, 9 de junho, das 14h30 às 16h30, em formato híbrido e em inglês:

 

Este evento inscreve-se num projeto de pesquisa transnacional – intitulado Islamofobia mediática e erudita: estudo transnacional dos discursos e de seu impacto, e dirigido pelo antropólogo Abdelwahed Mekki-Berrada, da Universidade de Laval, no Québec-Canadá – que interroga a noção de «islamofobia» e analisa as suas manifestações discursivas nos países francófonos (França, Bélgica, Suíça, Canadá) e na Península Ibérica (Portugal e Espanha).

A investigação no contexto português está a ser desenvolvida por uma equipa de Estudos de Comunicação do CECC-Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, da Universidade Católica Portuguesa, e por uma equipa de antropólogos do CRIA-Centro em Rede de Investigação em Antropologia, da Universidade NOVA de Lisboa, coordenadas por Camila Arêas e José Mapril, respetivamente.

Neste encontro, serão apresentados os resultados da primeira etapa do estudo sobre a islamofobia no campo mediático português a partir da análise discursiva dos principais jornais nacionais. Visto que, hoje, o conceito de «islamofobia», carregado de sentido, se tornou objeto de polémica nos meios de comunicação e espaços políticos da Europa, o objetivo é observar como a noção está no centro de disputas discursivas entre atores que a tentam definir de acordo com as suas posições, ideias e interesses particulares. O estudo propõe refletir sobre a noção de «islamofobia» enquanto um «objeto de discurso», produto e produtor da realidade social.

As questões de base giram em torno de duas abordagens complementares. A primeira, inscrita em Comunicação, consiste em analisar o conteúdo e os discursos discriminatórios e/ou estigmatizantes publicados nos principais jornais portugueses nos últimos dez anos. A segunda, inscrita em Antropologia, busca compreender as interações dinâmicas entre a receção e a experiência subjetiva que atores muçulmanos fazem dos discursos mediáticos discriminatórios e/ou estigmatizantes relativamente ao Islão.

A partir da análise complementar dos dados mediáticos e etnográficos, este projeto visa proporcionar um melhor entendimento dos mecanismos e das múltiplas manifestações de islamofobia, que continua a ser uma realidade social atual, tanto a nível local como global.

 

 

Oradores

 

Abdelwahed Mekki-Berrada é professor na Universidade Laval, especialista em Antropologia do Islão e Antropologia da saúde mental. De um modo geral, os seus trabalhos incidem sobre as relações entre o paradigma securitário dos Estados e a saúde mental dos migrantes com estatuto precário. Em estudos sobre o Islão, tem explorado, por um lado, a questão da islamofobia sob o ângulo da violência e da radicalização e, por outro, a espiritualidade muçulmana como uma tecnologia em si mesma, que contribui para a emergência de sujeitos-atores.

Camila Arêas é investigadora integrada do CECC-Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, da Universidade Católica Portuguesa, e professora titular em Comunicação na Universidade de Réunion, em França. Especialista em semiótica dos media, os seus trabalhos enquadram-se fundamentalmente no campo dos estudos de media e religião. Tem incidido sobre questões como a comunicação religiosa, a mediatização da religião e a performatividade dos discursos e objetos que constituem a materialidade da crença.

José Mapril obteve o seu doutoramento em Antropologia no Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa, com uma pesquisa sobre transnacionalismo e Islão entre bangladeshis em Lisboa. Atualmente, é professor auxiliar no departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa e investigador integrado no CRIA NOVA. Os seus interesses de investigação são: transnacionalidades, migrações, subjetividades, cidadania cultural, Islão(s) e muçulmanos, islamofobia e secularismos. Tem vindo a abordá-los em etnografias centradas em contextos como Portugal, Bangladesh e Reino Unido.

Alfredo Brant é fotógrafo e artista. Atualmente, é investigador do CECC-Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, Universidade Católica Portuguesa, ao abrigo do programa de Doutoramento em Estudos de Cultura. As suas pesquisas inserem-se, em particular, nos campos da Visual Culture e da Visual Literacy, nos quais tem vindo a abordar a construção de narrativas visuais e a relação entre palavra e imagem.

Helena Ventura é mestre em Ciências da Comunicação na vertente de media e jornalismo pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, é licenciada em Sociologia pelo ISCTE e foi bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Trabalhou como Media and Communications Officer e Research Assistant no CECC-Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, da Universidade Católica Portuguesa, tendo participado em projetos de investigação elaborados ao abrigo do mesmo.

Teresa Costa é mestre em Antropologia pelo ISCTE, tendo a sua tese incidido sobre as trajetórias e as experiências migratórias de guineenses em Portugal. Tem trabalhado como investigadora em projetos internacionais e nacionais, tais como «Heriligion», financiado pelo programa internacional Hera-Uses of the Past, e «As relações familiares dos imigrantes em disputa», financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.