CECC_Culture_Art_Conflict

O grupo Culture, Art and Conflict (CAC) tem por base um sólido trabalho de dez anos de investigação dedicado ao entendimento da diferença e do conflito enquanto estratégias fundamentais de criação de sentido. Recorrendo a uma abordagem crítico-interpretativa com um propósito marcadamente histórico-contextual, assim como a metodologias empíricas, o CAC formula um tipo de conhecimento novo e teoricamente informado, colocando em questão o modo como a crítica cultural, literária e mediática se articula com a complexidade inerente a uma qualquer interação conflitual.

O CAC promove o diálogo sobre as diversas formas pelas quais o conflito favorece e condiciona a produção de sentido na modernidade, sobre como a representação do conflito é estabelecida entre diferentes conteúdos e meios, e sobre como o conflito molda o conhecimento nas Humanidades. A investigação desenvolvida pelo grupo centra-se no papel desempenhado pelas Artes – literatura, cinema, artes visuais e performativas – na dupla função do conflito: criação e disrupção.

Numa primeira fase, o CAC irá relacionar os dados empíricos e recolhidos no desenvolvimento de um trabalho prático sobre a produção de conteúdos artísticos em situações de conflito – desde os períodos do pós-Guerra Fria e Guerra Colonial portuguesa até às guerras do Iraque e da Síria – e temas como: a) os conflitos de representação e a memória dos eventos; b) os conflitos de arquivo artístico («artchiving») e a estrutura da mediação tecnológica; c) práticas artísticas e a transição para a convivialidade.

Numa segunda fase, o grupo irá adotar igualmente uma abordagem mais ampla, propondo uma reflexão sobre as teorias e as práticas que têm moldado o discurso intelectual das Humanidades e o modo como aquelas têm sido influenciadas pelas marcas mais profundas dos acontecimentos societais recentes – a guerra e a migração forçada, os novos colonialismos, a exclusão digital, a vigilância constante e o fim da privacidade, noções opostas de humanidade, a exaustão planetária. Por meio desta abordagem, designada por the 'Conflicted Humanities’ approach, o CAC irá colocar o enquadramento metodológico e conceptual da investigação humanística no centro de um novo discurso sobre o lugar inconstante da cultura humana e das humanidades académicas, em geral, à luz da violência que persiste no século vinte e um.

 

A equipa de investigadores:

Membros integrados

Isabel Capeloa Gil 
Adriana Martins
Ana Fabíola Maurício
Diana Gonçalves
Filomena Guarda
Gerald Bär
Luísa Leal de Faria
Luísa Santos
Maria do Rosário Lupi Bello
Martina Emonts
Paulo Miguel Martins
Paulo Campos Pinto
Sara Magno
Sofia Pinto
Tânia Ganito

Membros colaboradores

Gabriela Terenas
João Borges da Cunha
Leonor Sá
Mónica Dias
Sarah Nagaty
Suzie Marra

Alunos de doutoramento

Alfredo Brant
Amadea Kovič
Amani Maihoub
Ana Dinger
Annimari Juvonen
Brian Ambulo
Clara Caldeira
Dora Fernandes
Dzifa Peters
Eduardo Prado Cardoso
Eiji Komatsu
Ekaterina Cordas
Federico Bossone
Gloria Adu-Kankam
João Biscainho
Linda Koncz
Manon Klein
Mário Avelar
Nina Danilova
Rissa Miller
Rodrigo Marcondes
Rola Yousef
Teresa Costa
Teresa Pinheiro
Vera Herold
Victoria Page
Zohar Iancu

Próximos Eventos

16
Apr
09:00
17
Apr
17:00