Archives of (in)hospitality: a multilingual glossary on the bordering of communities and alternative visions of living-together

  • Investigadora: Verena LINDEMANN LINO
  • Período de pesquisa: 2022-2025
  • Enquadramento científico: Estudos Literários & de Cultura

Resumo

Nos debates políticos e filosóficos, o tema da hospitalidade é abordado no contexto das interações sociais e do modo como as comunidades se relacionam umas com as outras: fala-se no estrangeiro, no turista, no (i)migrante, no refugiado. Os cientistas das humanidades e das ciências sociais têm chamado a atenção para a conexão entre a hospitalidade e questões afetas aos processos de pertença e de exclusão, de cidadania, de direitos humanos ou de tratamento dos migrantes e/ou refugiados (cf. Derrida 2000a; Rosello 2001; Dikeç 2002; Benhabib 2004; Still 2010; Agier 2018). Este projeto de pesquisa insere-se nesta discussão em curso. Com base numa abordagem teórica em particular, à luz da Literatura Comparada e dos Estudos de Cultura, visa refletir sobre os efeitos a longo-prazo do pensamento moderno acerca da estruturação e da institucionalização da diferença antropológica nas sociedades contemporâneas. O intuito é o de aferir qual o papel da literatura e das práticas estéticas a ela relacionadas na (re)articulação da (in)hospitalidade. Na forma de um glossário multilingue, a investigação irá procurar compreender em que medida conceitos como «postmigration», «broken language», «archipels», «Afropean» e «unlearning» são deslocados e traduzidos por diferentes escritores e pensadores internacionais na sua alusão às formas comunitárias dominantes e na sua perspetiva de modos alternativos de convivência conjunta. O projeto visa explorar opções alternativas a nível de léxico e de arquivo (i.e., repositórios de experiências e de projetos epistemológicos passados) para pensarmos sobre a comunidade, a exclusão e a hierarquização dos grupos humanos.

Palavras-chave

Hospitalidade, negociações literárias, incorporação e exclusão, determinação, diferença, hierarquização 

 


 

A História do jornalismo literário português: reportagens e jornalistas

  • Investigador: Manuel COUTINHO
  • Período de pesquisa: 2022-2025
  • Enquadramento científico: Estudos de Comunicação

Resumo

Em Portugal, o jornalismo literário encontrou a sua voz nos finais do século XIX com a narrativa de jornalistas-escritores. Foi o caso de Batalha Reis e Ramalho Ortigão, na altura; de jornalistas como Hermano Neves e Reinaldo Ferreira durante a República; Mário Neves e Edite Soeiro no Estado Novo; Fernando Dacosta e Maria António Fiadeiro no pós-25 de Abril; ou Paulo Moura e Susana Moreira Marques nos dias de hoje. Contudo, e apesar do crescimento do estudo e da análise da temática, a história do jornalismo literário português ainda carece de uma análise formal e aprofundada. Este projeto tem o intuito de preencher tal lacuna, através da escrita de artigos científicos, da participação e organização de conferências e colóquios, assim como da criação de uma disciplina académica. Para este último fim, será importante dar ênfase às reportagens escritas ao longo do tempo, para assim se conseguir perspetivar a evolução histórica do jornalismo literário português desde a sua génese. Será, igualmente, relevante colocar o enfoque sobre os jornalistas da atualidade, dando voz à experiência e à visão dos repórteres de campo – uma análise que permitirá acrescentar uma componente prática e pragmática ao estudo. Neste caso, não se tratará somente de os entrevistar, mas também de os convidar para a Universidade, na esperança de que, assim, se possam gerar momentos frutíferos de diálogo, que, em última instância, poderão vir a entusiasmar os alunos sobre a esfera e sobre o trabalho jornalístico em questão.

Palavras-chave

Jornalismo literário, Portugal, evolução histórica, entrevistas, diálogos, nova disciplina

 


 

Conflicted Arts+Politics

  • Investigadora: Luísa SANTOS
  • Período de pesquisa: 2019-2025
  • Enquadramento científico: Estudos de Cultura & Artes Visuais

Resumo

O Conflicted Arts+Politics faz parte da iniciativa Conflicted Humanities, afeta ao grupo de investigação Cultura, Arte e Conflito do CECC, e apresenta uma estreita relação ao trabalho desenvolvido no projeto de cooperação europeu 4C's: from Conflict to Conviviality through Creativity and Culture. Foi concebido nos campos dos Estudos de Cultura e das Artes Visuais com um olhar sobre a realidade política atual, nomeadamente sobre as dimensões humana, social e económica que a compõem. O mundo de hoje é formado por inúmeros desafios e conflitos de várias ordens – guerras, crises, notícias falsas, regimes opressores –, todos eles exigindo uma ação urgente. Os artistas visuais, sobretudo desde o Modernismo, sempre responderam com as suas práticas de investigação e de produção à realidade que (n)os rodeia. Mas o que é que podem fazer num mundo contemporâneo no qual a participação política e a apatia parecem caminhar lado a lado? Acima de tudo, o objetivo da investigação é ir mais além e ponderar criticamente sobre alguns dos principais resultados do 4C’s, tais como: i) as práticas dos artistas ativistas contemporâneos inserem-se cada vez mais no domínio político; e ii) parece haver uma relação entre os apoios governamentais e o poder transformador das artes na política. Com base em tais argumentos, far-se-á uma reflexão aprofundada acerca das respostas e das ações dos artistas face aos sistemas políticos. Em particular, espera-se que a análise contribua para a produção de conhecimento sobre como as práticas (de investigação e de produção artística) são elaboradas relativamente a e em regimes políticos de censura, de pós-censura e opressão, de pós-opressão, coloniais e pós-coloniais.

Palavras-chave

Artes, política, contemporaneidade, pesquisa e produção, práticas artísticas, sistemas políticos

 


 

Humans of New York

  • Investigadora: Jessica ROBERTS
  • Período de pesquisa: 2019-2025
  • Enquadramento científico: Estudos de Comunicação & Media

Resumo

Na viragem do século XXI, as ferramentas de captação e de partilha rápida de conteúdos online tornaram-se amplamente acessíveis, o que, associado ao facto de não terem custos associados e de serem de manuseamento fácil, veio culminar num interesse crescente dos cidadãos em prestar um contributo nos serviços de informação ao público. O jornalismo colaborativo (ou jornalismo-cidadão) começou a estar no centro das atenções de jornalistas profissionais, críticos de media, membros da comunidade académica e público em geral. Contudo, especialmente nos websites, no lugar de um esclarecimento dos utilizadores quanto às suas responsabilidades sempre que partilham informações, as companhias de media começaram a promover a ideia de que o papel do jornalista é «fácil» e que qualquer um pode desempenhá-lo. Ou seja: se foi dada aos cidadãos a oportunidade de participarem no processo noticioso, eles passaram a acreditar que tal participação exigia pouco esforço ou formação, não implicando qualquer responsabilidade. Este projeto visa aferir de que modo os utilizadores estão posicionados no processo, tendo em conta as exigências técnicas e os acordos estabelecidos nos sites das maiores empresas de social media. A análise irá ter em conta um desafio principal: a tensão entre o que é rentável – proporcionar o acesso fácil e rápido, assim aumentando o número de utilizadores de uma plataforma – e o que age em benefício de uma cidadania informada numa sociedade democrática – criar algumas barreiras no acesso, de modo a obrigar os utilizadores a fazer um maior esforço e a aceitar a sua responsabilidade no processo, que vai para além de (simplesmente) se infringir a lei. Em última instância, espera-se que esta investigação possa contribuir para o entendimento do potencial que os jornalistas e os utilizadores dos social media apresentam a nível do cultivo da empatia, bem como para uma noção mais precisa quanto às responsabilidades e aos códigos de ética que guiam o comportamento tanto dos jornalistas como dos cidadãos que partilham conhecimento num dado órgão de comunicação social.

Palavras-chave

Social media, jornalismo, utilizadores de plataformas digitais, ética, jornalismo colaborativo (ou jornalismo-cidadão) 

 


 

Gender discriminations and inequalities faced by Nepalese migrant women in Portugal

  • Investigadora: Alexandra PEREIRA
  • Período de pesquisa: 2022-2024
  • Enquadramento científico: Desenvolvimento Humano Integral

Resumo

Este estudo visa aferir e analisar tipos de discriminação de género contra mulheres nepalesas que emigraram para Portugal e as desigualdades que enfrentam. O enquadramento teórico baseia-se na Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (Nações Unidas, 2017), na chamada «the capabilities approach» (Nussbaum, 2001), na teoria feminista (Kristeva, 1982; Irigaray, 1993; Bartkowsky, 1999; Ettinger, 2006), nos estudos sobre as mulheres, na abordagem interseccional (Crenshaw, 1989; Collins, 2015) e na interseccionalidade transnacional (Grabe, 2012), aos quais será associado um conjunto de artigos tanto sobre a marginalização de mulheres nepaleses noutros locais do globo como sobre a sua integração em Portugal. A pesquisa está a ser desenvolvida com base numa metodologia de âmbito qualitativo, interseccional e interpretativo, num cruzamento entre a observação participante, o diário de campo e o método etnográfico. Serão aplicadas trinta (30) entrevistas semiestruturadas a mulheres nepalesas a viver no nosso país, vinte (20) das quais migrantes de primeira geração e dez (10) de segunda geração. A pergunta de base à pesquisa é a seguinte: quais são as principais desigualdades e discriminações que as mulheres nepalesas migrantes em Portugal têm de enfrentar, que recursos mais utilizam e que capacidades podem ser desenvolvidas em cooperação com estas mulheres, de modo a evitar-se a repetição continuada das circunstâncias desproporcionais?

Palavras-chave

Desigualdade de género, capacidades, migrantes do sexo feminino, mulheres nepalesas

 


 

Mais conexão: resiliência em famílias transnacionais 

  • Investigador: Carlos BARROS
  • Período de pesquisa: 2022-2024
  • Enquadramento científico: Desenvolvimento Humano Integral

Resumo

Este projeto tem como objetivo principal a exploração do fenómeno da (e)migração enquanto um projeto coletivo, que pode ser promotor do bem-estar e da integração do próprio (e)migrante, assim como das figuras parentais que permanecem no país de origem – isto tendo em conta que a família (ou a rede de conhecimentos mais imediata) é habitualmente a primeira fonte de apoio social em qualquer tipo de situação migratória, assumindo, por isso, um impacto na sociedade de forma direta ou indireta. Para o entendimento intercultural do fenómeno, é fundamental analisar o peso da solidariedade intergeracional, da conexão, da adaptação e da coesão social na dinâmica entre as duas gerações. O estudo terá também em conta a emergente adaptação digital, que tende a reduzir o hiato entre ambas: no que concerne aos (e)migrantes, ela leva a um adiamento da sua autonomia enquanto jovens adultos; já no que respeita aos progenitores que ficam no país, diminui a sua suscetibilidade a um processo de envelhecimento desacompanhado. Este projeto será desenvolvido com base em dois estudos complementares: (i) um, com indivíduos que ficaram no país, enquanto os seus filhos emigraram para o contexto europeu; (ii) outro, com jovens adultos que emigraram para a Europa e que deixaram, pelo menos, um dos progenitores a viver em Portugal. Será, igualmente, elaborada uma análise teórica com o intuito de serem explorar os contornos do fenómeno social em causa noutras realidades culturais.

Palavras-chave

Emigração, hiato geracional, solidariedade intergeracional, adaptação, coesão

 


 

Nexo emigração-imigração: o enquadramento público do fenómeno migratório em Portugal e o seu impacto social 

  • Investigadora: Ester MINGA
  • Período de pesquisa: 2022-2024
  • Enquadramento científico: Desenvolvimento Humano Integral

Resumo

O objetivo deste projeto é identificar e analisar criticamente o modo como as representações sociais sobre o fenómeno migratório são articuladas nas suas distintas vertentes, assim influenciando atitudes e perceções sobre pessoas migrantes. A especificidade portuguesa, como país provedor de emigrantes e local de acolhimento de vários grupos migratórios (Peixoto et al., 2016), será basilar à análise e a investigação debruçar-se-á sobre cinco tendências contemporâneas, em particular: diminuição da imigração e aumento vertiginoso da emigração entre 2010 e 2015; migração humanitária (com enfoque na “crise dos refugiados” de 2015 e na reemergência deste tópico em 2021); migração de cidadãos europeus (à luz do Brexit, em 2016); e efeitos da Covid-19. Numa fase inicial, haverá lugar a uma análise quantitativa da cobertura feita por jornais nacionais de cada um dos temas, entre 2015 e 2021. Posteriormente, serão analisados grupos focais com segmentos da população, sendo também aplicadas entrevistas semiestruturadas a jornalistas. A hipótese da investigação é a seguinte: o enquadramento público do fenómeno migratório assume distintos padrões ao representar as diferentes vertentes da emigração portuguesa e da imigração em Portugal.

Palavras-chave

Enquadramento, representações sociais, colonialismo migratório, Portugal

 


 

O fundamental in Fernando Namora: coletânea artístico-literária

  • Investigadora: Suzie MARRA
  • Período de pesquisa: 2022-2024
  • Enquadramento científico: Artes & Cultura

Resumo

Este projeto está a ser desenvolvido numa parceria entre o Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, no Brasil, e a linha de investigação Literature and the Global Contemporary do CECC-Universidade Católica Portuguesa, em Portugal. Acima de tudo, pretende-se com esta pesquisa expandir os estudos sobre o escritor português Fernando Namora (1919-1989), propondo-se um novo olhar sobre a criação artístico-literária do autor. O principal intuito é fazer uma releitura da sua obra, revisitando-o e procurando entender os elementos ou conceitos-chave que fundamentam o trabalho de Namora e que têm gerado diversas abordagens críticas e aproximações a correntes literárias e filosóficas, como sejam a neorrealista ou a humanista. Visa-se, portanto, acrescentar e, assim, revigorar o conhecimento já existente sobre este importante escritor português do século XX. No final do estudo, será editado um volume com uma seleção das diferentes criações de Namora, desde pinturas, desenhos e poesia, para além das suas bem conhecidas composições literárias, na esperança de que, assim, o seu trabalho possa chegar a um conjunto mais alargado de pessoas e ser do interesse de uma nova geração de leitores.

Palavras-chave

Fernando Namora, trabalho artístico, trabalho literário, edição de volume

 


 

Ana Hatherly: traduzir, ser traduzida

  • Investigadora: Serena CACCHIOLI
  • Período de pesquisa: 2022-2024
  • Enquadramento científico: Estudos de Tradução

Resumo

Este projeto de investigação centra-se no estudo dos conceitos de tradução, reescrita e transcriação, questionando qual o papel e o peso da tradução na escrita original de autores que são também tradutores. O caso de análise é o de Ana Hatherly e a pesquisa tem por base uma divisão do seu trabalho de tradução em: traduções interlinguísticas, intralinguísticas, intersemióticas e re-criações livres. A partir deste corpus, será elaborado um estudo crítico sobre as opções da autora, sobretudo a nível do tipo de texto, do autor e do contexto em que as traduções foram feitas. O interesse de Ana Hatherly para os Estudos de Tradução prende-se, de um modo especial, com o facto de a sua própria obra, enquanto escritora, ter sido igualmente traduzida para outras línguas, tendo ela mantido uma assídua correspondência com os tradutores – cartas estas que estão preservadas no espólio pessoal da autora, disponível no arquivo da Biblioteca Nacional de Portugal. Um dos objetivos passa por proceder a uma edição de tais cartas e analisar, de forma crítica, os temas discutidos entre Hatherly e os seus tradutores – e não somente no que concerne à obra em si mesma, mas também no que diz respeito a questões de tradução e de livre recriação de textos que tenham sido discutidas entre ambas as partes.

Palavras-chave

Ana Hatherly, autor-tradutor, tradução, estudo crítico, edição de correspondência

 


 

Surveying Lusophone cultures: Luso-Brazilian women translators in the Circum-Atlantic world

  • Investigadora: Patrícia ANZINI
  • Período de pesquisa: 2019-2024
  • Enquadramento científico: Estudos Literários & de Tradução

Resumo

Este projeto de investigação propõe analisar a importância das mulheres luso-brasileiras nas culturas lusófonas e nos circuitos de convivialidade do final do século XIX e início do século XX. Em particular, visa evidenciar o papel pioneiro que assumiram na criação, na disrupção e na compreensão do conflito e das representações da diferença e da identidade entre Portugal e o Brasil, através das suas práticas de tradução e críticas literárias. A pesquisa tem por base materiais usualmente desvalorizados ou inacessíveis, entre os quais jornais menos comuns, notas pessoais, correspondência, revistas científicas. Estes veículos não-oficiais do diálogo intercultural serviram de incubadoras de outras formas de convivialidade, pelas quais se formaram novas solidariedades entre mulheres dentro do mundo circum-Atlântico. Foram formas de contacto que contrastaram com o modelo mais habitual de trocas culturais entre Portugal e o Brasil, colocando a descoberto a existência de uma subestrutura de cultura luso-brasileira nos meandros do conflito e da identidade. Em última instância, espera-se com este projeto compreender em que medida o trabalho desenvolvido por tais mulheres se pode relacionar com as questões do mundo atual, nomeadamente com as categorias conflituais género, diferença e interculturalismo.

Palavras-chave

Trocas culturais, Portugal e Brasil, conflito, diferença, identidade, mulheres tradutoras

 


 

Metodologias de pesquisa da ficção televisiva: estudo longitudinal de metodologias e técnicas de pesquisa utilizadas pelo Observatório Ibero-Americano da Ficção
Televisiva (OBITEL)

  • Investigadora: Cláudia FREIRE
  • Período de pesquisa: 2022-2023
  • Enquadramento científico: Estudos de Comunicação

Resumo

Ao longo dos anos, e no campo da comunicação ibero-americana, o Observatório Ibero-Americano da Ficção Televisiva (OBITEL) consolidou-se como uma rede de pesquisa internacional que produz e cruza quantitativa e qualitativamente análises, com vista a identificar semelhanças e especificidades, adaptações e apropriações entre diferentes narrativas da televisão nacional produzidas e exibidos em cada país. Trata-se, portanto, de um estudo comparativo que permite identificar questões como a representação que diferentes países fazem deles próprios e de outros através de produções televisivas de ficção, ou indicadores culturais de como os países diariamente constroem e reconstroem elementos de sua identidade cultural. Com base neste tipo de dados, o OBITEL consegue ter uma visão profunda e abrangente da força económica que a ficção foi adquirindo ao longo do tempo naquele media. Este projeto de pesquisa tem como objetivo desenvolver um estudo longitudinal e histórico das metodologias utilizadas pelo OBITEL em cada um dos anuários publicados, em resultado de tais análises, com um enfoque no período entre 2007 e 2020. A principal pergunta de partida é: quais são as metodologias e as técnicas de pesquisa utilizadas pelos países para gerar o elevado conjunto de dados existentes sobre a ficção televisiva? Desta questão, atender-se-á ao propósito de se procurar compreender se, num ano em particular, poderá ter existido algum tipo de influência da produção cultural de ficção sobre a escolha metodológica. A hipótese colocada é a de que existe uma relação próxima entre o modo como a produção televisiva é elaborada e a escolha metodológica assumida pelos analistas do OBITEL.

Palavras-chave

OBITEL, ficção, televisão, metodologias e técnicas de pesquisa

 

Próximos Eventos

27
Jun
09:00
07
Jul
09:15